Violência física por parceiro íntimo na gestação: prevalência e alguns fatores associados

Autores/as

  • Jenny Karol Gomes Sato Sgobero Secretaria Municipal de Saúde
  • Lorenna Viccentine Coutinho Monteschio Hospital Universitário Regional de Maringá
  • Robsmeire Calvo Melo Zurita Universidade Estadual de Maringá
  • Rosana Rosseto de Oliveira Master’s student, Nursing Program, State University of Maringá - UEM, Maringá (PR), Brazil.
  • Thais Aidar de Freitas Mathias Universidade Estadual de Maringá

Palabras clave:

Violência contra a mulher, gestação, saúde da mulher, maus-tratos conjugais, violência doméstica

Resumen

Identificar alguns fatores associados com a violência física por parceiro íntimo na gestação. Estudo transversal, com 358 puérperas residentes no município de Maringá (Paraná), atendidas pelo Sistema Único de Saúde, em que foi utilizado o instrumento World Health Organization Violence Against Women. A análise de associação foi realizada por meio do Odds Ratio OR. A prevalência da violência física por parceiro íntimo na gestação foi de 7,5%, sendo maior entre as multigestas (89%; OR = 6,3; p<0,001). Houve associação significativa da violência física por parceiro íntimo na gestação com não ter religião (OR = 3,1; p = 0,008), ter fumado na gestação (OR = 2,7, p = 0,025) e ter filhos de outro parceiro (OR = 3,4; p = 0,011). Com relação às características do companheiro, houve associação com o companheiro não ter trabalhado durante a gestação (OR = 8,2; p<0,001) e uso de drogas ilícitas (OR = 3,1, p = 0,031). Os profissionais de saúde que atendem no pré-natal devem investigar possíveis ocorrências de violência física na gestação, principalmente em mulheres multigestas, e oferecer atenção multidisciplinar extensiva à família, do planejamento familiar ao cuidado psicossocial.

 

DOI: 10.5294/aqui.2015.15.3.3

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Jenny Karol Gomes Sato Sgobero, Secretaria Municipal de Saúde

Mestre em Enfermagem. Enfermeira na Secretaria Municipal de Saúde.

Lorenna Viccentine Coutinho Monteschio, Hospital Universitário Regional de Maringá

Mestre em Enfermagem. Enfermeira no Hospital Universitário Regional de Maringá.

Robsmeire Calvo Melo Zurita, Universidade Estadual de Maringá

Doutoranda em Enfermagem. Universidade Estadual de Maringá/PR (UEM), Brasil. Enfermeira na Secretaria Municipal de Saúde.

Rosana Rosseto de Oliveira, Master’s student, Nursing Program, State University of Maringá - UEM, Maringá (PR), Brazil.

Doutoranda em Enfermagem. Universidade Estadual de Maringá/PR (UEM).

Thais Aidar de Freitas Mathias, Universidade Estadual de Maringá

Enfermeira. Doutora em Saúde Pública. Professor Titular do Departamento de Enfermagem – Programa de Pós-graduação em Enfermagem - Universidade Estadual de Maringá/PR (UEM).

Descargas

Publicado

2015-08-12

Cómo citar

Karol Gomes Sato Sgobero, J., Viccentine Coutinho Monteschio, L., Calvo Melo Zurita, R., Rosseto de Oliveira, R., & Aidar de Freitas Mathias, T. (2015). Violência física por parceiro íntimo na gestação: prevalência e alguns fatores associados. Aquichan, 15(3). Recuperado a partir de https://aquichan.unisabana.edu.co/index.php/aquichan/article/view/4650

Número

Sección

Artículos